.
 
 
Cancelamento no transporte rápido do Teste do Pezinho pode prejudicar atendimento ao recém-nascido
 
Notícias
 
     
   

Tamanho da fonte:


26/07/2017

Cancelamento no transporte rápido do Teste do Pezinho pode prejudicar atendimento ao recém-nascido

Testes são enviados dos 497 municípios do estado para análise em Porto Alegre

A notícia do cancelamento do pagamento dos envios do Teste do Pezinho via Sedex, por parte do Ministério da Saúde e do Governo Federal, foi recebida com perplexidade pela Sociedade de Pediatria do RS (SPRS). Se colocada em prática, a medida trará grande repercussão para população, considerando que do total de 140 mil crianças que nascem no estado por ano, aproximadamente 110 mil dependem do SUS, para a realização do Teste do Pezinho. O transporte via Sedex assegura que o resultado chegue até o Serviço de Referência em Triagem Neonatal (SRTN), responsável pela execução dos testes, de forma rápida. Havendo a troca por outro tipo de correspondência, o temor é de que os resultados cheguem com atraso, prejudicando o diagnóstico de doenças importantes.

- Todos os testes feitos no estado são enviados para Porto Alegre (RS) para a análise. Por ser uma importante, e imprescindível, ferramenta para descobrir doenças seríssimas em recém-nascidos, hoje, o Governo Federal paga o envio dos exames por Sedex para a capital gaúcha. O Teste do Pezinho deve ser feito de três a cinco dias após o nascimento, e o ideal é que o resultado seja conhecido no até quinze dias de vida do bebê. Com este tempo, ainda é possível reverter muitos problemas nas crianças e evitar óbitos e deficiências gravíssimas – afirma a presidente da SPRS, Cristina Targa Ferreira.

Segundo o vice-presidente da SPRS e membro do Comitê de Neonatologia da SPRS, Marcelo Pavese Porto, as crianças que dependem do sistema público de saúde serão prejudicados se houver a mudança.

- A Sociedade de Pediatria do RS pede bom senso e responsabilidade do Governo Federal, pois cerca de 80% das crianças nascidas no estado dependem dessa modalidade do Correios para terem agilidade nos resultados e na busca pelo tratamento adequado - relata Marcelo Pavese Porto.

O diagnóstico precoce é essencial para o tratamento de, pelo menos, seis doenças: fenilcetonúria, hipotireoidismo congênito, doença falciforme, fibrose cística, deficiência de biotinidase e hiperplasia adrenal congênita. 


Autor: Mariana da Rosa
Fonte: Play Press

Imprimir Enviar link

Solicite aqui um artigo ou algum assunto de seu interesse!

Confira Também as Últimas Notícias abaixo!

 
 
 
 
 
 
 
Facebook
 
     
 
 
 
 
 
Newsletter
 
     
 
Cadastre seu email.
 
 
 
 
Interatividade
 
     
 

                         

 
 
.

SIS.SAÚDE - Sistema de Informação em Saúde - Brasil - R. Dr. Flores, 263 - Centro Porto Alegre - RS, 90020-120
O SIS.Saúde tem o propósito de prestar informações em saúde, não é um hospital ou clínica.
Não atendemos pacientes e não fornecemos tratamentos.
Administração do site e-mail: contato@sissaude.com.br. (51) 3779.0602