.
 
 
Exame de visão torna-se problema na obtenção da carteira de motorista
 
Notícias
 
     
   

Tamanho da fonte:


21/08/2009

Exame de visão torna-se problema na obtenção da carteira de motorista

Dependendo do caso, problemas na visão podem tirar do mercado de trabalho motoristas que exercem atividade remunerada

O último censo do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) aponta que 26,7% da população têm idade acima de 40 anos. Por conta disso o CBO (Conselho Brasileiro de Oftalmologia) estima que 51 milhões de brasileiros têm presbiopia ou vista cansada. Trata-se da dificuldade de foco para perto, decorrente do envelhecimento do cristalino que acomete todas as pessoas a partir desta idade.

Segundo o oftalmologista do Instituto Penido Burnier, Leôncio Queiroz Neto, entre 26 e 27 milhões dos brasileiros com mais de 40 anos utilizam óculos multifocal para corrigir simultaneamente a presbiopia e algum vício de refração – miopia (dificuldade de enxergar de longe), astigmatismo (visão desfocada para perto e longe) ou hipermetropia (dificuldade de enxergar de perto).

O problema, afirma, é que para tirar ou renovar a CNH (carteira Nacional de Habilitação), é comum pessoas deste grupo serem encaminhadas ao oftalmologista pelos examinadores, apesar de enxergarem o suficiente para dirigir. É uma questão social importante, ressalta, porque acaba tirando do mercado de trabalho motoristas que exercem atividade remunerada.

Um levantamento feito por Queiroz Neto nos últimos 12 meses com 96 motoristas mostra que 48% dos encaminhados ao consultório usavam lente multifocal e tinham acuidade visual dentro do estabelecido pela legislação. Os outros 52%, eram pacientes mais jovens com instabilidade de refração que usavam óculos desatualizados e arriscaram passar pelo exame por causa da redução de 60% para 50% na exigência de acuidade visual, prevista pela Resolução 267 do CONTRAN (Conselho Nacional do Trânsito).

É uma prova de que muitos brasileiros ignoram a importância da visão não só para garantir a segurança no trânsito, como a qualidade de vida, já que 85% de nossa integração com o meio ambiente depende de nossa capacidade de enxergar, comenta o médico. Quem usa óculos, observa, deve consultar um oftalmologista a cada 2 anos, independente da idade. A partir dos 40 anos, esta regra vale para todas as pessoas porque podem ocorrer alterações nos olhos que não apresentam sintomas no estágio inicial. As mais comuns são:



DICAS PARA AGILIZAR A CNH

Queiroz Neto afirma que para agilizar a CNH o ideal é consultar um oftalmologista antes de passar pelo perito. Durante o exame, comenta, quem usa óculos multifocal deve manter o foco sempre na parte superior da lente que corresponde à visão de longe, independente do vício de refração. Isso porque, o equipamento utilizado no exame é calibrado para medir a visão de longa distância, explica. Para o médico, como os olhos ficam próximos à projeção dos optotipos, pessoas que usam lentes multifocais são encaminhadas ao consultório porque no exame médico da CNH buscam o foco na área inferior das lentes que é reservada para visão de perto ou na parte central que corresponde à visão de meia distância. Resultado – Não conseguem enxergar.

AS MELHORES LENTES PARA MOTORISTAS

Ele lembra que todos os vícios de refração diminuem a visão de contraste que pode ser melhorada com lentes polarizadas ou na cor âmbar no crepúsculo do entardecer. Para reduzir o ofuscamento noturno a dica é usar lente amarela. As lentes corretivas fotossensíveis são as indicadas para dirigir contra o sol por protegerem os olhos da radiação ultravioleta, enquanto as que têm tratamento anti-reflexo melhoram a visão em até 30% comparadas às lentes sem tratamento.

LENTE INTRA-OCULAR REDUZ EM 50% RISCO DE ACIDENTES

O equipamento utilizado no exame oftálmico da CNH também mede a percepção de profundidade, de cores e contraste, ofuscamento noturno, campo visual, além da acuidade auditiva. Queiroz Neto ressalta que o teste de ofuscamento pode indicar catarata em estágio inicial para maiores de 55 anos. Para quem exerce atividade remunerada pode significar a diferença entre ser eliminado do mercado de trabalho e se manter ativo. Isso porque, a legislação exige melhor visão destes motoristas que por isso geralmente operam a catarata em estágio inicial, comenta. A recomendação aos motoristas que precisam dirigir à noite é implantar a última geração de lentes intra-oculares que além de corrigir a visão de perto, meia distância e de longe tem capacidade adicional de regular a quantidade de luz que chega à retina. Por isso garante uma segurança extra no trânsito, observa. A prova disso, ressalta, é que uma pesquisa feita na Universidade de Alabama mostra que a cirurgia de catarata além de recuperara a autonomia das pessoas reduz em 50% o risco de acidentes no trânsito.

 


Autor: Imprensa
Fonte: LDC Comunicação

Imprimir Enviar link

Solicite aqui um artigo ou algum assunto de seu interesse!

Confira Também as Últimas Notícias abaixo!

 
 
 
 
 
 
 
Facebook
 
     
 
 
 
 
 
Newsletter
 
     
 
Cadastre seu email.
 
 
 
 
Interatividade
 
     
 

                         

 
 
.

SIS.SAÚDE - Sistema de Informação em Saúde - Brasil - R. Dr. Flores, 263 - Centro Porto Alegre - RS, 90020-120
O SIS.Saúde tem o propósito de prestar informações em saúde, não é um hospital ou clínica.
Não atendemos pacientes e não fornecemos tratamentos.
Administração do site e-mail: contato@sissaude.com.br. (51) 3779.0602