.
 
 
Infecções de pele aumentam no verão
 
+ Saúde
 
     
   

Tamanho da fonte:


10/12/2009

Infecções de pele aumentam no verão

Micoses e bicho geográfico são os vilões da estação

O verão está chegando e as pessoas buscam por ambientes abertos, mais próximos a natureza como clubes e praias. A exposição da pele às altas temperaturas, à água, à areia e a terra permite o aparecimento de lesões, como por exemplo, as micoses e o bicho geográfico.

As micoses são causadas pelos fungos e se manifestam habitualmente no pescoço, tórax e membros superiores com manchas de cor variável (claras ou escuras). Mas, também podem surgir entre os dedos dos pés, deixando a pele macerada, com descamações, fissuras e coceiras. Segundo a dermatologista do INC, Dra. Adriane Reichert Faria, as micoses mais frequentes são as que atacam as camadas superficiais da pele. “Couro cabeludo, mucosas e unhas também podem ser afetados e os sintomas dependem do tipo e localização das lesões”, explica. O problema pode ocorrer em crianças e adultos, independente do sexo.

Já a infecção mais conhecida por bicho geográfico é causada pela penetração na pele por larvas de Ancylostoma braziliensis, parasita do cão e gato. De acordo com a dermatologista, os animais parasitados depositam suas fezes, assentando os ovos que se desenvolvem no calor e na umidade. “Após penetrar a pele, as larvas deslocam-se, causando coceira que pode ser de moderada a intensa”, explica Adriana.

O diagnóstico do bicho geográfico é feito por exame clínico. “O tratamento deve ser iniciado logo após o diagnóstico e é importante ressaltar que não se deve fazer tratamentos caseiros, pois podem agravar o quadro, com risco de outras infecções”, alerta o dermatologista do INC, José Roberto Shibue.

O diagnóstico é realizado pelos sinais e sintomas apresentados e pelo exame físico. Se necessário, é realizado exame micológico direto e cultura.

Já a micose, além da consulta clínica, às vezes precisa de exames específicos. “Em alguns casos, fazemos exames de análise de cultura do fungo”, esclarece Shibue. Para tratar o problema, são receitados medicamentos antifúngicos.

Prevenção

Para prevenir a micose, a pele deve sempre estar limpa e seca, evitar o uso de calçados fechados, roupas de tecido sintético que não absorvam o suor ou umidade e secar bem o corpo após o banho. “Cuidados também devem ser tomados com contato com animais de estimação que podem ser transmissores de doenças. No caso de micose de unha, deve-se ter sempre o seu material de manicure e pedicure”, ensina a dermatologista.

Segundo o Dr. Shibue, para prevenir o bicho geográfico é necessário a conscientização da sociedade, ao não levar animais de estimação para a praia. “Uma medida interessante seria desvermificar os animais de estimação. E, não andar descalço em locais onde há a possibilidade de animais terem defecado, como por exemplo, parques, praias e campos de areia”, explica o dermatologista.


Autor: Daiane Strapasson
Fonte: Expressa Comunicação

Imprimir Enviar link

Solicite aqui um artigo ou algum assunto de seu interesse!

Confira Também as Últimas Notícias abaixo!

 
 
 
 
 
 
 
Facebook
 
     
 
 
 
 
 
Newsletter
 
     
 
Cadastre seu email.
 
 
 
 
Interatividade
 
     
 

                         

 
 
.

SIS.SAÚDE - Sistema de Informação em Saúde - Brasil - R. Dr. Flores, 263 - Centro Porto Alegre - RS, 90020-120
O SIS.Saúde tem o propósito de prestar informações em saúde, não é um hospital ou clínica.
Não atendemos pacientes e não fornecemos tratamentos.
Administração do site e-mail: contato@sissaude.com.br. (51) 3779.0602