.
 
 
Bem-estar na Terceira Idade
 
Educação
 
     
   

Tamanho da fonte:


18/02/2009

Bem-estar na Terceira Idade

O idoso saudável é aquele que está bem física, mental e espiritualmente, mantendo-se ativo e produtivo

Uma vez o famoso escritor russo Liev Tolstoi disse que "A velhice é a maior surpresa (desagrádavel) para o homem". De certa forma, ele tinha razão. Entretanto, com o avanço da Medicina, já é possível chegar à terceira idade desfrutando de uma boa saúde ou seja, estar ativo e bem física, mental e espiritualmente.
Para o geriatra do Hospital Nossa Senhora das Graças, Dr. Luiz Antônio da Silva Sá, para chegar com boa saúde na terceira idade é preciso ter conscientização e prevenção muito antes do que se imagina. “É na infância que começa o aprendizado para criar bons hábitos para ter um envelhecimento saudável. No Japão, por exemplo, a Geriatria Preventiva começa aos seis anos de idade. Num país como o nosso deve se iniciar o mais breve possível, não passando da juventude”, afirma.
Geralmente é por volta dos 60 anos que os idosos sentem as mudanças no organismo. Começam a conviver com a diminuição da visão e da audição, alterações da memória e odontológicas, insônia entre outras características. Aceitar e saber lidar com as modificações inerentes ao envelhecimento é o primeiro passo para viver bem.
Segundo o médico Luiz Antônio, um dos maiores problemas é que o idoso, de maneira geral, é um desidratado crônico. “Percebemos que esses pacientes ingerem pouco líquido. O ideal é tomar, no mínimo, um litro e meio de água ou suco natural, por dia”. A alimentação deve ser farta de frutas e verduras e reduzida de açúcar e sal.
Outros ítens também são indispensáveis, como: manter-se produtivo, ter convívio social, fazer atividade física e ter bom relacionamento familiar. Para o médico, deve-se evitar afastar o idoso do seu meio familiar. A sugestão é frequentar centros de convivência, clubes da terceira idade, mas evitar asilos.
Doenças da Terceira Idade:
Há doenças que, mesmo com a prevenção, podem surgir na terceira idade principalmente as de cunho genético, como diabetes e osteoporose. Porém, tomando alguns cuidados, essas doenças podem ter seus efeitos minimizados. De acordo com o Dr. Sá devemos levar em conta que o envelhecimento depende de dois fatores básicos: o genético (imutável) e o meio ambiente, que pode ser mudado a nosso favor.
Segundo o Ministério da Saúde as doenças mais comuns apresentadas por idosos são:       
                                                               
Doenças cardiovasculares: infarto, angina, insuficiência cardíaca.
- Fatores de risco: pouca atividade física (sedentarismo), fumo, diabetes, alta taxa de gordura no sangue (colesterol) e obesidade (gordura). 
- Sintomas: Falta de ar, dor no peito, inchaço, palpitações.
- Prevenção: Praticar atividade física de forma sistemática, não fumar e controlar o peso, colesterol e a diabetes.
Acidente Vascular Cerebral (AVC):
- Fatores de risco: Pressão alta, tabagismo, sedentarismo, obesidade e colesterol elevado.
- Sintomas: Tontura, desmaio, paralisia súbita.
- Prevenção: Praticar atividade física de forma regular e sistemática, não fumar, controlar a pressão arterial, o peso e o colesterol.
Câncer:
- Fatores de risco: Fumo, exposição ao sol, alimentação inadequada, obesidade, casos na família, alcoolismo.
- Sintomas: Depende do tipo de Câncer, um dos sintomas mais comuns é o emagrecimento inexplicável.
- Prevenção: Consultar o médico pelo menos uma vez por ano para fazer exames preventivos, evitar exposição ao sol em excesso e não fumar.
Pneumonia:
- Fatores de Risco: Gripe, enfizema pulmonar e bronquite, alcoolismo.
- Sintomas: Febre, dor ao respirar, escarro, tosse.
- Prevenção: Praticar atividade física de forma regular e sistemática,  boa alimentação, vacinação contra gripe e pneumonia.  
Enfizema pulmonar e bronquite crônica:
- Fatores de Risco: Fumo, casos na família, poluição excessiva.
- Sintomas: Tosse, falta de ar e escarro.
- Prevenção: Parar de fumar, manter a casa ventilada e aberta ao sol.
Infecção urinária:
- Fatores de Risco: Retenção urinária no homem e incontinência urinária na mulher.
- Sintomas: Ardor ao urinar e vontade frequente de urinar.
- Prevenção: Consultar um médico e tratar a infecção e sua causa.
Diabetes:
- Fatores de Risco: Obesidade, sedentarismo, casos na família.
- Sintomas: Muita sede e aumento no volume de urina.
Prevenção: Controlar o peso e a taxa de açúcar no sangue.
Osteoporose:
- Fatores de Risco: Fumo, sedentarismo, dieta pobre em cálcio, nas mulheres o risco é sete vezes maior.
- Sintomas: Não há sintomas, em geral, é descoberta pelas complicações (fraturas).
- Prevenção: Praticar atividade física de forma regular e sistemática, não fumar, comer alimentos ricos em cálcio
Osteartrose:
- Fatores de Risco: Obesidade, traumatismo, casos na família.
- Sintomas: Dores nas juntas de sustentação (joelho, tornozelo e coluna), e nas mãos 
- Prevenção: Controlar o peso e praticar atividades física adequada.

Autor:
Fonte: Expressa Comunicação

Imprimir Enviar link

Solicite aqui um artigo ou algum assunto de seu interesse!

Confira Também as Últimas Notícias abaixo!

 
 
 
 
 
 
 
Facebook
 
     
 
 
 
 
 
Newsletter
 
     
 
Cadastre seu email.
 
 
 
 
Interatividade
 
     
 

                         

 
 
.

SIS.SAÚDE - Sistema de Informação em Saúde - Brasil - R. Dr. Flores, 263 - Centro Porto Alegre - RS, 90020-120
O SIS.Saúde tem o propósito de prestar informações em saúde, não é um hospital ou clínica.
Não atendemos pacientes e não fornecemos tratamentos.
Administração do site e-mail: contato@sissaude.com.br. (51) 3779.0602