Imprimir
 

XII SIMINCO reúne médicos especializados no tratamento de coluna com técnicas minimamente invasivas

Dor de coluna não é problema de terceira idade. É algo que começa lá atrás, com os maus hábitos posturais, o sedentarismo, o descuido com a saúde. Em alguns casos, a dor vai aparecer lá na frente, na velhice. Porém é cada vez mais comum que ela apareça cada vez mais cedo. “Eu fui diagnosticada com hérnia de disco aos 28 anos”, conta a jornalista Maria Carolina Maia. Assim como ela, o professor Rodrigo Mourino, 40 anos, teve que parar de trabalhar porque não conseguia andar direito. Em comum, os dois encontraram uma oportunidade para dar adeus à dor de uma forma pouco convencional. “Fiquei sabendo que ocorreria um evento de coluna e que lá eles poderiam me operar. Corri atrás, pois já havia passado por muitos médicos, que não encontraram solução para o meu problema”, explica Maria Carolina.

O evento a que a jornalista se refere é o SIMINCO – Simpósio Internacional de Cirurgia e Técnicas Minimamente Invasivas da Coluna do Hospital S. José da Beneficência Portuguesa de S. Paulo – que chega a sua 12ª edição e, este ano, ocorrerá no dia 28 de agosto. Liderado pelo Dr. Pil Sun Choi, o Simpósio reunirá médicos nacionais e internacionais, interessados em solucionar casos difíceis e tornar as técnicas cirúrgicas de coluna cada vez mais evoluídas. Em 2015, o evento apresentará uma novidade em termos de tratamento da hérnia de disco: a utilização do laser diodo (ceralato laser/tecnologia alemã), que, por ser mais moderno, possibilita melhor vaporização e coagulação tecidual, mais segurança, redução do tempo de intervenção e rápida recuperação. Os benefícios desse tipo de técnica foram destaque este ano na revista Spine, mais importante publicação do segmento.

Além disso, haverá também realização de uma cirurgia de estabilização de coluna lombar, sem fundir as vértebras (Dynesys), técnica benéfica e já consagrada no meio, principalmente, no caso de pacientes mais idosos, que apresentam saúde fragilizada e doenças associadas, como hipertensão, cardiopatia e diabetes. Ela é menos invasiva do que as cirurgias convencionais conhecidas: estabiliza a coluna, alivia a dor, preserva a anatomia da coluna e mantém parcialmente a mobilidade espinhal. “Em dez anos de prática com essa técnica, nunca tivemos que reverter para a artrodese [técnica convencional]”, explica o coordenador do evento, Pil Sun Choi.

Os constantes avanços médicos apresentados no Simpósio, que funciona como uma vitrine de novas tecnologias – como os mencionados acima – são prova de que alguns casos médicos, que parecem sem solução, podem estar apenas aguardando um profissional disposto a pensar de modo diferente. É o que ocorre com o Grupo que coordena o evento no Hospital S. José. Tanto Maria Carolina, quanto Rodrigo - citados nesse texto - são prova de que não existe doença sem tratamento. No caso de Maria Carolina, a cirurgia de hérnia e a melhora considerável da dor possibilitaram que ela redefinisse prioridades. “Consegui engravidar depois da cirurgia. Parte disso credito à operação de coluna, que me proporcionou uma melhor qualidade de vida”, conclui.

Artigo científico sobre uso de laser diodo.

Descrição: Descrição: C:\Users\User\Desktop\Laser Diodo.JPGServiço do SIMINCO:

XII SIMINCO - Simpósio Internacional de Cirurgia e Técnicas Minimamente Invasivas da Coluna do Hospital São José da Beneficência Portuguesa/SP

Data: 28/08/2015

Horário: das 7h30 às 18h

Local: Hospital São José (Beneficência Portuguesa/Auditório)

Rua Martiniano de Carvalho, 965 – Bela Vista

COMISSÃO ORGANIZADORA:

Pil Sun Choi – ortopedista, fundador e atual presidente da Associação Brasileira de Desenvolvimento de Cirurgia Minimamente Invasiva de Coluna (www.abcmic.com). É pioneiro na introdução e propagação das técnicas de Cirurgia de Coluna Minimamente Invasiva (CCMI) no Brasil.

Wilson Dratcu - ortopedista, presidente da Sociedade Brasileira de Coluna Minimamente Invasiva (www.sbc-miss.com.br).

COMISSÃO CIENTÍFICA:

· Alexandre Fogaça

· André Lafratta

· Pil Sun Choi


Autor: Carina Viana
Fonte: Ecco Press

Imprimir